O prazer de desvendar a textura e o sabor. Explorar o lado mais intenso do chocolate. Verdadeiras experiências de degustação, com origens diferentes e sabores únicos. A cada mordida, uma descoberta. A cada pedaço, uma nova sensação. Isso é Bendito Cacao.

Esse é o nome científico do cacaueiro.
Traduzindo, significa "ALIMENTO DOS DEUSES".

O cacau

Fruto nativo da Bacia Amazônica, é produzido apenas nas regiões tropicais (com temperaturas entre 20°C e 30°C). Os primeiros pés de cacau apareceram entre os rios Orinoco e Amazonas. Depois disso, correntes migratórias levaram a planta para a América Central e ao México, onde habitavam os astecas. Foram os povos pré-colombianos que descobriram e cultuaram as delícias do chocolate.

Variedades

Os mais diferentes tipos de chocolate têm origem em apenas três variedades de cacau. São elas:

Clique abaixo e descubra

Regiões produtoras de cacau

Conheça os principais países produtores de cacau no mundo.
Juntos, são responsáveis por 90% da produção mundial.

Da árvore à loja

Conheça as etapas da produção do chocolate.

Colheita

Feita de forma manual até hoje, com cuidado para não danificar o tronco. O cacaueiro é cultivado à sombra de árvores maiores, como Jequitibá e Pau-Brasil. Esse método é conhecido como Cabruca.

Quebra

Também realizada manualmente, a quebra do cacau conta apenas com o auxílio de uma faca, fruto por fruto.

Fermentação

Etapa responsável pelo início da definição do aroma e sabor do chocolate. A fermentação do cacau acontece pela ação de leveduras do gênero Saccharomyces, em um processo que dura de cinco a sete dias e é realizado em cochos de madeira.

Secagem

Após a fermentação, as sementes adquirem a famosa cor marrom e são postas para secar por seis a oito dias, nas chamadas barcaças. A eliminação da umidade também influenciará nas características do futuro chocolate, em relação a aroma e paladar.

Armazenamento

As amêndoas secas são estocadas em sacas de 60 kg, com umidade máxima de 8,5%.

Torrefação

As sementes são torradas, descascadas e quebradas em pequenos pedaços. Durante este processo, você pode ir do sucesso ao fracasso em questão de segundos (a mais ou a menos), ou graus (mais quente ou menos quente). A torra nada mais é do que um controle, uma harmonia entre tempo e temperatura, que deve ser feita com muito cuidado. Após esse processo, as amêndoas são chamadas de nibs de cacau.

Líquor

Quando o nibs é moído, chegamos à matéria-prima do chocolate: o líquor, conhecido também como massa ou pasta de cacau. Dele, aplicando-se pressão e alta temperatura, extraímos outros ingredientes utilizados na indústria de alimentos a manteiga e o pó de cacau.

Conchagem

Com o auxílio de diferentes temperaturas e movimentos, deixa a massa homogênea e elimina a umidade e sabores indesejados. A conchagem ainda dá a textura característica e os sabores e aromas caramelizados do chocolate.

Refinamento

Logo após a conchagem, o chocolate passa por um processo de refino, para que suas partículas não sejam percebidas pelo nosso paladar.

Temperagem

Já refinado, o chocolate passa pelo tanque de armazenamento em uma temperatura de 45°C a 50°C. Em seguida, vai para a temperadeira, que cristaliza a manteiga de cacau.

E pronto!

O chocolate sai da temperadeira a 30°C, perfeito para ser trabalhado.

Conheça a linha completa