O chocolate já foi moeda de troca

Conheça as lendas que acompanham o cacau de dinheiro oficial a moedas douradas

Os chocólatras vão assinar embaixo: o carinho por esse doce é enorme, de todas as formas. Até disfarçado de moeda! Presentear com moedas de chocolate é uma tradição forte em parte da Europa durante o Natal, nas festividades judaicas do Hanucá e também no dia de São Nicolau, que dizem ser aquele que fez a moda pegar.

São Nicolau de Mira foi um Arcebispo na região que hoje é a Turquia. E as lendas contam que ele era muito generoso, tanto quanto tímido. Para manter o anonimato, um dia ele subiu em um telhado e atirou pela chaminé uma bolsa com dinheiro. Ela caiu na meia presa de uma garotinha, dando origem à tradição de pendurar as meias. Depois disso, ele teria passado a doar moedas todos os anos às crianças que viviam por lá. Parece familiar? É a mesma lenda do Papai Noel!

Geralmente, as moedas douradas são de chocolate ao leite e as prateadas são de chocolate amargo. Mas não só revestido de ouro ou prata o cacau ficou “valioso”. Suas sementes eram tão preciosas para os maias que se tornaram uma de suas moedas correntes. Dizem que na época dez sementes compravam um coelho e cem compravam até um escravo. Só mesmo quem era muito rico consumia o chocolate, visto como a bebida dos deuses. Bem diferente do doce superdemocrático que temos hoje.